sábado, 14 de julho de 2012

Europa

           A Europa também pode ser chamada de “Velho Continente”. Esse termo se refere ao período em que os europeus (final do século XV) foram descobrir outros continentes (América e Oceania).

            É um continente relativamente pequeno, quase do tamanho do Canadá. Porém, dentro da Europa há aproximadamente 47 países, porque alguns desses países são minúsculos, como Mônaco, Vaticano, que estão dentro de países maiores.
O Vaticano é o menor país do mundo. É um país como qualquer outro: tem autonomia política, econômica e administrativa. Nada que acontece no Vaticano foi imposto pelo governo italiano. O Papa tem autonomia e soberania sobre esse país.

Clima

Por está localizada acima do trópico de câncer, o clima predominante é o temperado. Há o temperado continental e o temperado oceânico, esse último aparece nas regiões de ilhas. E polar é o mais difícil de ser encontrado. No clima temperado pode-se observar a passagem das quatro estações do ano. No inverno é muito frio, neva; no verão é muito quente; no outono as folhas caem e na primavera a vegetação fica florida.
O climograma serve para analisar o comportamento do clima ao longo de um ano, para relacionar o clima em termos de umidade (chuva) e em termos de temperatura.
Existem alguns fatores que influenciam no clima, entre eles: o relevo, o efeito das correntes marítimas, maritimidade. Na parte norte e central da Europa, a circulação de massas de ar com umidade é muito elevada nessa região. Já na região sul do continente, há montanhas, o que torna o clima mais árido, seco, porque impedem que as massas de ar úmidas adentrem essa região.
As correntes marítimas levam bastante umidade para as áreas litorâneas, assim como o efeito da maritimidade, que tornam as áreas do litoral extremamente úmidas.
Na Inglaterra (Grã Bretanha) chove bastante, em quase todos os dias. Isso ocorre em razão do relevo, da influência do efeito maritimidade e das correntes marítimas, que tornam a região extremamente úmida (por ser um país cercado pelo oceano, recebe muita umidade).

Relevo
          O relevo predominante na Europa é de baixa altitude. Em apenas alguns lugares que há montanhas.

Vegetação

A maior vegetação européia é a floresta temperada, e isso graças ao clima. E a vegetação que se encontra em maior proporção no continente é a tundra que se encontra em altitudes mais elevadas.
A atividade de retirada de matéria prima da natureza na Europa é um fato muito antigo, desde o império romano. Mas esse processo tornou-se mais intenso com a revolução industrial. Com o surgimento das máquinas e as mudanças no padrão de produção em escala mundial, cada vez mais os europeus se apropriaram dos recursos naturais. Hoje a Europa é um continente que detém as menores reservas florestais do mundo, porque eles foram os que mais detonaram. Em um curto espaço de tempo, os europeus acabaram com os recursos naturais.
Hoje na Europa o grande problema é a água. A água na Europa é vendida quase a preço de petróleo, é extremamente cara. É cara porque a disponibilidade de rios é bem menor na Europa do que no Brasil, por exemplo, a Europa tem apenas um rio principal (o rio Danúbio). Esse rio Reno-Danúbio abastece aproximadamente 8 países. Há um controle rigoroso sob as águas desse rio: os países não podem deixar essa água chegar a outros países poluída sob pena de pagar multas muito altas.

O quadro natural da Europa

O litoral extenso e recortado por diversos golfos, baías, enseadas, istmos e penínsulas é uma das características físicas mais marcantes desse continente. Há também numerosas ilhas, destacando-se entre elas a Islândia, a Grã-Bretanha e a Sardenha.

 Fatores naturais e características climáticas da Europa

Além de sua posição geográfica, existem outros fatores naturais que influenciam nas características climáticas do continente europeu. Entre os principais fatores, podemos citar:

·        Relevo – o predomínio de planícies, na porção centro-norte do continente europeu, facilita a penetração das frentes frias polares, provenientes da Ártico, tornando o clima nessa região mais frio, sobretudo no inverno. Por sua vez, o relevo mais irregular da porção sul do continente, com a presença de elevadas cadeias montanhosas, como os Alpes, os Bálcãs, barram a entrada das massas de ar tropicais, provenientes do norte da África, dando origem ao clima mediterrâneo, mais quente e seco que em outras partes da Europa.

·        Corrente marítima – a porção ocidental da Europa é bastante influenciada por essa corrente marítima do Atlântico Norte, que tem origem no golfo do México; por isso, ela traz calor e umidade para o clima de vários países da região, fazendo com que os invernos sejam menos rigorosos.

·        Efeito de maritimidade – a proximidade com a massa de água oceânica torna as amplitudes térmicas diárias, mensais e anuais bem menores que as registradas nas áreas interioranas dos continentes. Isso torna o clima das áreas litorâneas mais ameno, com verões e invernos menos rigorosos que os registrados nas outras regiões.

 A vegetação da Europa

            É importante saber que a diversidade de formações vegetais nativas da Europa encontra-se parcial ou totalmente alterada pela ação humana.
           Foi com a Revolução Industrial que as transformações se intensificaram, reduzindo as extensas florestas temperadas a pequenas áreas de bosques.
 
O relevo e a hidrografia da Europa

            A grande extensão territorial, os aspectos climáticos e a dinâmica tectônica que atinge a região são fatores que colaboram diretamente na origem das diversas formas de relevo e da vasta rede hidrográfica européia.

As formas de relevo europeu

            Em território europeu destacam-se três formas de relevo:

·        Planícies – são predominantes, pois abrangem cerca de 70% do território. Têm origem na deposição de sedimentos, em eras geológicas recentes, trazidos por rios ou lagos naturais. São exemplos as planícies Russa, Húngara e Germano-Polonesa.

·        Planaltos e maciços antigos – compõem-se de regiões intensamente desgastadas pelo processo erosivo desde eras geológicas remotas; por isso, apresentam formas de relevo arredondadas e com altitudes modestas.

·        Cadeias montanhosas – são formadas por grandes dobramentos modernos, ou seja, geologicamente mais recentes que as demais formas de relevo, e decorrem do encontro das placas tectônicas localizadas, sobretudo, ao sul do continente.



 Rios intensamente aproveitados

            O rio Reno, com aproximadamente 1326 km de extensão, destaca-se por banhar a região industrial mais importante da Europa, localizada no extremo oeste da Alemanha. Nesse curso fluvial é intenso o transporte de cargas, já que ele liga um importante complexo industrial ao porto de Roterdã, na Holanda. Nasce nos altos da Suíça, passa pela Alemanha, pela Bélgica e deságua no mar do norte, na Holanda.
           Vale Ruhr fica na Alemanha é a parte mais desenvolvida da Europa, justamente por nessa região passar um rio europeu de extrema importância e o ria facilita o escoamento da produção. O transporte aquático é muito importante para a troca de mercadorias entre os países europeus.
            Por ligar a porção central da Europa à sua porção oriental, com intenso movimento de cargas e passageiros, é chamado de rio transeuropeu.


Poluição, despoluição e o problema da água na Europa

            Em razão da possibilidade de faltar água, o governo europeu vem tomando várias medidas de controle e de manejo, como forma de preservar os mananciais existentes. Entre elas estão as campanhas para evitar o desperdício doméstico e industrial, a despoluição de rios e a preservação da vegetação em áreas de nascente.
            A água no continente europeu é muito cara em vista da escassez. Na Alemanha, o preço da água é o maior em comparação a outros países desenvolvidos, porque ela sobretaxa a água, ou seja, aumenta os impostos sobre esse produto. O governo faz isso para estimular a redução do consumo.
O país mais industrializado da Europa é o Reino Unido. Com o fim da União Soviética ocorreu a divisão da Iugoslávia em novos países. Islândia, Noruega, Suécia e Finlândia são países com baixa densidade demográfica, isso é graças aos fatores climáticos, consequentemente temos poucas notícias desses países.
 

Os movimentos nacionalistas

            Várias minorias étnicas reivindicam reconhecimento e autonomia de algumas nações européias. O Euskadi (País Basco) se encontra no norte da Espanha. Dentro desse “país” vive uma população, chamada população basca. Eles não falam espanhol, eles não têm os traços culturais da Espanha, têm o hábito de vida totalmente diferente dos espanhóis, por isso eles buscam a independência, querem tornar o País Basco independente, para isso, esse grupo intitulado ETA apelam para atos terroristas para forçar o governo a reconhecer a independência dessa área e declará-la como um país independente fim de atingir seus objetivos políticos.
A taxa de fecundidade, ou seja, a quantidade de filhos por casal está diminuindo bastante na Europa. Existem países europeus que apresenta até o índice de crescimento natural negativo, ou seja, as pessoas estão mais morrendo do que nascendo. Isso acontece pelo elevado custo na criação dos filhos e pelo fato que as mulheres não querem ser “donas de casa”, querem ser profissionais bem sucedidas e ter muitos filhos atrapalha a mulher em sua carreira.
O fato de ter muito imigrantes trabalhando na Europa está diretamente relacionado ao índice de crescimento negativo, porque não está havendo renovação da população européia que gera elevado pagamento da previdência privada, o que tem causado prejuízo a previdência privada desses países.
Os imigrantes são bem recebidos na Europa, e se eles fossem embora a economia européia afundaria.

Xenofobia = aversão a estrangeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário